Imprensa

Trecho completo da nova terceira faixa passa a operar a partir desta sexta-feira

15 de dezembro de 2021

Obra realizada pela Arteris Litoral Sul traz mais segurança viária e fluidez no tráfego para região da Grande Florianópolis – entre Palhoça e São José

Com liberação de último trecho em obras – nova terceira faixa de 15,6 km estará inteiramente liberada para trânsito

Quarta-feira, 15 de dezembro. A Arteris Litoral Sul promove nesta sexta-feira, 17, a inauguração da nova terceira faixa norte da BR-101/SC – entre Palhoça e São José. As obras tiveram duração de dez meses – com investimento de R$ 53,2 milhões – para implantação ampliação da rodovia em trecho de 15,6 km de extensão.

A inauguração acontece a partir da liberação do último segmento que ainda estava em obras – com 1,6 km entre o trevo com a BR-282 e a ponte sobre o Rio Passa Vinte. Com isso, a partir de agora toda a extensão da terceira faixa – do km 216 ao km 200,4 segue liberada ao tráfego.

Ao todo, cerca de 200 trabalhadores estiveram mobilizados ao longo de todo ano nas atividades de pavimentação, sinalização, instalação de barreiras de proteção e readequação de 23 acessos – para entra e saída entre a rodovia e a via marginal. As alças foram projetadas para garantir a execução de manobras seguras de aceleração de desaceleração.

Outro ponto de destaque dessa obra é a remodelação da interseção entre a BR-101/SC e a Via Expressa. O acesso foi ampliado – com implantação de uma quarta-faixa, trazendo maior fluidez e segurança nesta importante ligação para capital do estado.

Para implantar a nova terceira faixa, também foi necessário realizar a reforma e ampliação de duas pontes ao longo desse segmento. As pontes sobre os rios Maruim e Passa Vinte foram construídas originalmente há mais de 50 anos e não possuíam largura compatível para três faixas. Em função disso, foram completamente reestruturadas e ampliadas para nova configuração do fluxo na região.

A nova terceira faixa é mais um investimento da Arteris Litoral Sul para melhoria da mobilidade da região – e a liberação ao trânsito ocorre dois meses antes do prazo contratual para conclusão da obra. A partir de agora, a concessionária irá monitorar as condições de tráfego – com expectativa de melhoria imediata na segurança viária e fluidez de tráfego – com redução no tempo de viagem.



Mais noticias

Ver todas