Imprensa

Conheça as ações que a Arteris Planalto Sul realiza para preservar a água e o Meio Ambiente

22 de março de 2021

Ao longo do trecho de concessão da Arteris Planalto Sul são 1.338 APPs de corpos hídricos cadastrados e monitorados pela equipe de Meio Ambiente, através de vistorias de campo e com auxílio de softwares e uso de drone

São José dos Pinhais, 22 de março – Hoje é comemorado o Dia mundial da Água, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1922 com o propósito de alertar a população sobre a necessidade de preservar a principal fonte de vida do planeta.

A Arteris Planalto Sul adota diversas medidas para preservação deste recurso, uma delas é a recuperação e monitoramento das Áreas de Preservação Permanente (APPs), áreas protegidas definidas pelo Código Florestal Brasileiro (Lei 12.651/2012) com a função de proteger espaços de relevante importância para a conservação da biodiversidade e qualidade ambiental. As APPs de corpos hídricos e nascentes são fundamentais para garantir a proteção dos rios e reservatórios contra assoreamentos, garantir o abastecimento dos lençóis freáticos – mantendo a qualidade da água e preservar a vida aquática.

Ao longo do trecho de concessão da Arteris Planalto Sul são 1.338 APPs de corpos hídricos cadastrados e monitorados pela equipe de Meio Ambiente, através de vistorias de campo e com auxílio de softwares e uso de drone.

No âmbito do “Programa de Recuperação de Áreas de Preservação Permanente” da concessionária, já foram recuperadas cerca de 323 APPs e outras 200 se encontram em recuperação, e como forma de potencializar a sua proteção, a Arteris Planalto Sul, desde 2015, vem realizando a delimitação dessas áreas. Essa medida tem o intuito de favorecer a recuperação natural da área e conscientizar colaboradores, lindeiros e usuários quanto a importância ambiental desses locais. Ao todo, já foram cercadas 468 parcelas de APPs no trecho de concessão.

Outra medida adotada pela concessionária, que visa a conservação dos corpos hídricos é a implantação de estações de tratamento de esgoto por zonas de raízes nas praças de pedágio e bases operacionais localizadas em trechos da rodovia não atendidos pela rede coletora de esgoto. Neste sistema, o esgoto passa por um tanque séptico e posteriormente por um tanque escavado no chão, impermeabilizado com lona e preenchido com camadas de pedra brita e areia, que funciona como um filtro biológico. Sobre esse tanque são colocadas plantas que agem no processo de decomposição e aproveitamento da matéria orgânica. Além disso, as plantas auxiliam na remoção de nutrientes como fósforo e nitrogênio que, em grandes quantidades, levam a eutrofização das águas.

Atualmente são cinco bases operacionais que contam com o sistema de tratamento por zonas de raízes na Arteris Planalto Sul: Fazenda Rio Grande/PR, Rio Negro/PR, Santa Cecília/SC, São Cristóvão do Sul/SC e Capão Alto/SC. Após lançamento do efluente tratado nos corpos hídricos estes são monitorados através de análises semestrais, de forma a garantir a qualidade da água, bem como o atendimento a legislação.



Mais noticias

Ver todas