Imprensa

Concessionária segue rígidos padrões de qualidade do pavimento aplicado na Régis Bittencourt

11 de janeiro de 2022

No laboratório da Arteris, todo o agregado utilizado na mistura asfáltica passa por controle de qualidade que atesta se o mesmo contém a resistência, pureza e dimensões que atendam as especificações necessárias.

São José dos Pinhais, 11 de janeiro. Durante todo o ano de 2021, uma das prioridades da Arteris Régis Bittencourt foi a realização de obras de reconstrução estrutural e fresagem funcional do pavimento da rodovia.

No trecho concedido da BR-116, entre a capital paulista e Curitiba/PR, a concessionária executou 317 kmf (quilômetro/faixa) – cerca de 20% do total da malha viária, abrangendo a maioria dos municípios lindeiros e proporcionando maior conforto, segurança e trafegabilidade aos usuários.

O grande desafio dessas obras, especialmente as de reconstrução, é garantir a segurança de usuários e trabalhadores, e em contrapartida proporcionar que o tráfego de veículos continue fluindo, mesmo com restrição de faixa. Tudo isso, no caso da Régis Bittencourt, diante de um volume médio de tráfego de 150 mil veículos por dia.

O município de Miracatu/SP foi o que mais recebeu melhorias no pavimento, cerca de 88 kmf, seguido de Registro/SP com 42 kmf, Campina Grande do Sul com 35 kmf, conforme tabela abaixo:

MUNICÍPIO
 KMF
 Taboão da Serra
         0,744
 Colombo
         1,043
 Quatro Barras
         1,151
 Embu das Artes
         5,858
 Antonina
         7,666
 Pariquera- Açu
         9,892
 São Lourenço da Serra
       10,946
 Jacupiranga
       11,437
 Barra do Turvo
       12,150
 Itapecerica da Serra
       14,055
 Juquiá
       22,388
 Juquitiba
       25,518
 Cajati
       28,620
 Campina Grande do Sul
       35,221
 Registro
       42,298
 Miracatu
       88,017
 Total
    317,004

Todo esse trabalho ainda está aliado a um rígido controle tecnológico do material asfáltico aplicado. A Arteris Regional Sul possui um dos mais modernos laboratórios de controle, que fica localizado na sede, em São José dos Pinhais/PR. Lá toda a massa passa por análises e controle de qualidade que atendem aos mais exigentes padrões e normas técnicas.

“Quando se trata de massa asfáltica aplicada em nossos trechos, temos todo cuidado para garantir que a massa seja aplicada com a qualidade que atenda nossas especificações e com isso dê segurança ao usuário de nossas rodovias na Regional Sul”, destaca André Supp, coordenador de laboratório da Regional Sul.

A mistura asfáltica que se torna parte do pavimento aplicado – é composta de agregado mineral (pedra), filler (a cal) e o CAP – o cimento asfáltico de petróleo, que serve como material colante, e une todos os outros componentes da mistura.

No laboratório da Arteris, todo o agregado utilizado na mistura asfáltica passa por controle de qualidade que atesta se o mesmo contém a resistência, pureza e dimensões que atendam as especificações necessárias.

O CAP (cimento asfáltico de petróleo) deve atender as especificações e normas pertinentes, de modo a garantir um pavimento de qualidade e duradouro assegurando conforto e segurança ao usuário. “A soma da qualidade de todos os materiais empregados na pavimentação, é que vai nos garantir um pavimento seguro e sem patologias durante muito tempo”, disse o coordenador de laboratório.

Processo de granulação do material.

 



Mais noticias

Ver todas