Imprensa

Arteris Fluminense alerta para importância da direção segura na estação mais fria e seca do ano

28 de julho de 2021

Concessionária alerta que a baixa visibilidade provocada pela neblina pode causar acidentes, tanto leves quanto graves, e por isso o motorista deve ter muito cuidado ao trafegar

A estação mais fria e seca do ano chegou e, com ela, vêm alguns cuidados para quem trafega por rodovias nesta época do ano. A Arteris Fluminense, concessionária que administra a BR-101 RJ/Norte entre Niterói e a divisa RJ/ES, em Campos dos Goytacazes, alerta que a baixa visibilidade provocada pela neblina pode causar acidentes, tanto leves quanto graves, e por isso o motorista deve ter muito cuidado ao trafegar.

O nevoeiro que se forma com a umidade do ar pode limitar a visão do motorista. Mesmo para quem conhece o trajeto, a Neblina é traiçoeira e a falta de visibilidade faz com que o condutor perca a referência.

Sob neblina, muito comum nessa época do ano, o motorista deve reduzir a velocidade com segurança, observando a distância entre o veículo que vem logo atrás; acender a luz baixa do farol (e o neblina, se houver) e aumentar a distância entre o veículo à sua frente. Ao longo do trecho sob concessão, a concessionária disponibiliza bases SOS Usuário, com local adequado para uma pausa na viagem, banheiros, fraldários e água.

Curiosidade: nevoeiros ocorrem geralmente durante a madrugada. Vento fraco ou calmaria (falta de vento) e baixa temperatura são condições importantes para formação do fenômeno.

Atenção também à fumaça

O inverno também pede atenção com relação à fumaça na pista, causada pelo tempo mais seco. Quando o motorista se depara com fumaça na pista, a direção se torna um verdadeiro desafio, com baixíssima visibilidade, o que é extremamente perigoso. A Arteris, que promove ações de conscientização de direção segura, destaca algumas orientações para ajudar motoristas ao se depararem com focos de fumaça na pista.

Adote uma direção defensiva: ao avistar fumaça, reduza a velocidade e respeite sempre os limites de velocidade da via. Em caso de baixa visibilidade, reduza a velocidade a níveis ainda mais seguros de direção. Assim, é possível ter mais tempo de reação no caso de ser surpreendido por outro veículo, pessoa ou animal.

Cuide da qualidade do seu ar: feche os vidros do veículo, para que ninguém respire a fumaça. Se o ar-condicionado estiver ligado, ative a recirculação do ar.

Mantenha distância: cuide para manter e/ou aumentar a distância do veículo à frente, o que trará mais segurança em uma frenagem de emergência.

Faróis baixos: use sempre os faróis baixos, conforme determina o Código de Trânsito Brasileiro. Em casos de baixa visibilidade por fumaça, nunca ligue o farol alto, pois ele se reflete nas pequenas gotículas do ar e fuligem, e ofusca ainda mais o motorista do veículo que vier no sentido contrário.

Nunca pare na via; no acostamento, só se não houver opção: em nenhuma hipótese o motorista deve parar o carro na via ou utilizar o pisca-alerta com o veículo em movimento. O acostamento só deve ser utilizado em caso de emergência e com o pisca-alerta ligado.

Pisca-alerta, só com o carro parado: jamais use o pisca-alerta em movimento, somente quando estiver com o veículo parado no acostamento. Acione o pisca-alerta apenas em caso de emergência ou pane. Caso contrário, isso causará confusão para o motorista que estiver atrás, que poderá ter a impressão de que o seu veículo está parado na pista de rodagem ou sinalizando uma mudança de pista, o que aumenta o risco de acidente.

 Evite se expor à fumaça: se for possível observar que um trecho à frente está comprometido com fumaça, busque um lugar seguro, como postos de serviços. Ao trafegar, se conseguir enxergar através da fumaça, dirija devagar e com os faróis e lanternas ligados. Não se arrisque. Se a visibilidade estiver muito prejudicada, busque um local para estacionar e espere a condição da via melhorar. Procure ainda saber as condições prévias da via. Você pode conferir as condições da BR-101 RJ/Norte pelo Twitter no perfil @Arteris_AFL.

Manutenção em dia: faça a revisão do veículo. Verifique, além da pressão dos pneus, o alinhamento e balanceamento das rodas, níveis de óleo do motor e da água no radiador, o sistema elétrico e as luzes.

Faça sua parte


É possível fazer sua parte contra as queimadas. A maioria dos acidentes começa com pequenas fogueiras, muitas vezes iniciadas por bitucas de cigarro jogadas pela janela dos veículos. Algumas medidas simples podem ajudar a prevenir mais incêndios.

Em caso de fumaça na rodovia, procure um local seguro para parar e comunique à Arteris Fluminense por meio do telefone gratuito 0800 282 0101, assim como ao Corpo de Bombeiros (telefone: 193) e à Polícia Rodoviária, informando o local ou proximidade da queimada.

Não solte balões, não faça fogueiras no período de seca nem atire bituca de cigarro acesas pela janela do veículo. Pequenas ações podem gerar grandes desastres.

Se tiver uma propriedade rural, sempre obtenha as autorizações legais com os órgãos competentes antes da realização de queimadas controladas.

Sobre a Arteris Fluminense – Concessionária responsável pela gestão dos 322 quilômetros da rodovia BR-101/RJ, conectando pessoas e dinamizando o transporte de cargas entre a Ponte Presidente Costa e Silva, em Niterói (RJ), e a divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Desde o início da concessão, em 2008, a Arteris Fluminense investiu mais de R$ 3,3 bilhões em obras que proporcionaram mais segurança aos motoristas e desenvolvimento regional. A concessionária preza pela qualidade na prestação de serviços e possui uma grande infraestrutura à disposição de quem trafega pela rodovia, composta por 107 câmeras de monitoramento, 7 bases operacionais, 10 guinchos leves, 3 guinchos pesados, 2 caminhões pipas, 7 viaturas de inspeção, 1 motocicleta, 11 veículos de resgate, sendo 4 com estrutura de UTI móvel, entre outros. É uma das concessionárias da Arteris, empresa especializada em gestão de rodovias, com 3.200 quilômetros de vias em cinco Estados.

 



Mais noticias

Ver todas