Imprensa

Arteris Fernão Dias conclui o plantio de mais de 21 mil mudas em Betim

4 de fevereiro de 2021

Plantio foi realizado entre novembro de 2020 e janeiro de 2021, e irá contribuir para a regeneração de mata ciliar degradada às margens do Rio Paraopeba

Pouso Alegre, 04 de fevereiro de 2021 – A Arteris Fernão Dias, concessionária que administra a BR – 381 entre Contagem e Guarulhos, concluiu o plantio de 21.774 mudas de árvores nativas da região do Paraopeba. Para o cultivo foram selecionadas cerca de 89 espécies arbóreas pioneiras, secundárias e clímax. Entre as mais conhecidas estão algumas variedades de ipê, aroeira, cedro, entre outras. O trabalho foi realizado às margens do Rio Paraopeba. O local foi definido em parceria com a Prefeitura Municipal de Betim para contribuir com a regeneração da mata ciliar e com a conservação do rio que foi devastado após o desastre de Brumadinho em 2019.

A ação faz parte do trabalho de plantio compensatório em virtude das obras de implantação do contorno viário no município de Betim. Para realizar os trabalhos, a concessionária investiu cerca de R$ 800 mil. “É uma preocupação constante da concessionária contribuir com o cuidado do meio ambiente. Através de medidas compensatórias conseguimos minimizar os impactos ambientais e ainda ajudamos a regenerar biomas, como é o caso do Paraopeba”, explica a coordenadora de meio ambiente da Arteris Fernão Dias, Julliana Barbosa Sampaio Bertôni.

O trabalho foi realizado por meio de empresa especializada contratada exclusivamente para esse fim. Cada muda plantada continha de 1,5 a 2 metros de altura, dependendo da espécie. Também foi necessária a utilização de tutores de eucalipto não tratado com diâmetro de 4 a 6 cm e tamanho de 2,2 metros, além do espaçamento de 2 x 2 metros entre as mudas, garantindo a combinação de diferentes grupos ecológicos. “São esses detalhes que garantem o sucesso do desenvolvimento das plantas. Tutores adequados e correta adubação vão garantir a fixação e estabelecimento da muda, garantindo a resistência a ventos e chuvas que ocorrem nesta época”, acrescenta a coordenadora.

O plantio foi realizado em uma área de preservação permanente (APP) de 100 metros de largura com área de recuperação de 2.017 metros de extensão. A estratégia adotada irá completar lacunas entre grupos de plantas existentes na área, perfazendo uma área de cerca de 21 hectares.



Mais noticias

Ver todas